Bronwen Ballard

🇬🇧Bronwen is the writer of “Your Mind is like the Sky”. You can find her on Instagram @bron_ballard.

How would "once upon a time, there was a little girl called Bronwen" go? What story would it tell us?
I was a very lucky little girl. I have a fantastic family, including a twin sister who was and is my best friend (along with my husband of course), so I always had someone to play with. I’m not sure I always realised how lucky I was. These days, spending time with her and talking about ideas and experiences is still one of my favourite things to do. Covid has made it harder to do that, so I think I appreciate her more.
As a little girl I was also a huge worrier. I thought that I needed to worry hard about things to stop them happening or to be properly prepared. It’s a habit I am still learning to let go of.

How did you find yourself in the pages of picture books?
I’ve always loved reading – when I was small, I used to have 3 or 4 books on the go at any time, all face down on the floor next to my bed with their spines breaking, waiting to be picked up. When I had finished a book it looked as though I’d been sleeping on it (and sometimes I had). When I had my own children, it was a pure joy when they started to love picture books. We would read the same books over and over again and they start to form a ritual for us to perform together every night. My children are old enough to read on their own now, but I still can’t bring myself to let go of all of our favourite books.
I wrote my own book almost by mistake! My 4 year old was struggling with difficult ‘raincloud’ thoughts, and I wanted to find a way to bring that out into the open so we could talk about them, so I wrote a book about it and when Laura Carlin illustrated it, it really came alive. One of my favourite things now is to hear about other parents and carers using the book to have conversations about thoughts and how we manage them, maybe in a way they wouldn’t have before.

When you create a story, do you ever try to transform the little child who will listen to your words? If so, how and what is your main purpose?
“Your Mind is Like the Sky” is trying to give children a language to talk about their thoughts. I want children to be able to think about how they think, and to notice that they have more power than they think when it comes to dealing with difficult thoughts.

If you could choose any existing book, which one would you have liked to have written/illustrated yourself?
I can’t possibly choose one book! One of our favourites is This Is Not My Hat by Jon Klassen – it’s so simple, and funny, deep and tense. I wish I could create a world with that simplicity. I love Stuck by Oliver Jeffers – it’s so beautiful, and so silly, a perfect way to end the day.

If given the chance, who would you hug today?
I’m a huggy person. If given the chance, I would line all of my friends and family up in a room and hug them hard, one by one.

...

🇵🇹Bronwen é a escritora de “A Tua Mente é Como o Céu”. Podem encontrá-la no Instagram em @bron_ballard.

Como seria o "Era uma vez uma menina chamada Bronwen”? Que história nos contaria?
Fui uma menina cheia de sorte. Tenho uma família fantástica, incluindo uma irmã gémea que foi e é a minha melhor amiga (juntamente com o meu marido, claro), por isso sempre tive alguém com quem brincar. Não tenho a certeza se sempre me apercebi da sorte que tive. Hoje em dia, passar tempo com ela e falar sobre ideias e experiências ainda é uma das minhas coisas preferidas. A Covid tornou mais difícil fazer isto, por isso acho que a aprecio mais.
Quando era pequena, era também muito preocupada. Pensava que precisava de me preocupar muito com as coisas para as impedir de acontecer ou para estar devidamente preparada. É um hábito que ainda estou a aprender a largar.

Como foste parar às páginas de um livro infantil?
Sempre adorei ler - quando era pequena, costumava ter 3 ou 4 livros à disposição em qualquer altura, todos virados para baixo no chão ao lado da minha cama com as lombadas abertas, à espera de serem escolhidos. Quando terminava um livro, parecia que tinha dormido sobre ele (e por vezes tinha). Quando tive os meus próprios filhos, foi uma alegria pura quando eles começaram a adorar livros ilustrados. Líamos os mesmos livros uma e outra vez e eles começavam a formar um ritual para nós fazermos juntos todas as noites. Os meus filhos já têm idade suficiente para ler sozinhos, mas eu ainda não me consigo libertar de todos os nossos livros preferidos.
Escrevi o meu próprio livro quase por engano! O meu filho de 4 anos estava a debater-se com pensamentos difíceis, e eu queria encontrar uma maneira de trazer isso à tona para que pudéssemos falar sobre eles, por isso escrevi um livro sobre isso e quando Laura Carlin o ilustrou, ele ganhou realmente vida. Uma das minhas coisas favoritas agora é ouvir falar de outros pais e cuidadores que usam o livro para ter conversas sobre pensamentos e como os gerir, talvez de uma forma que não teriam antes.

Quando crias uma história, tentas transformar a criança que vai ouvir as tuas palavras? Se sim, de que forma e qual o teu principal propósito?
“A Tua Mente é Como o Céu” está a tentar dar às crianças uma linguagem para falar sobre os seus pensamentos. Quero que as crianças sejam capazes de pensar sobre como pensam, e de perceber que têm mais poder do que pensam quando se trata de lidar com pensamentos difíceis.

Dada a possibilidade de escolher qualquer um, que livro gostarias de ter escrito e ilustrado?
Não posso escolher um livro! Um dos nossos preferidos é “Este Chapéu Não é Meu” de Jon Klassen - é tão simples, e engraçado, profundo e tenso. Quem me dera poder criar um mundo com essa simplicidade. Adoro “Presos” de Oliver Jeffers - é tão bonito, e tão tolo, uma forma perfeita de terminar o dia.

Se pudesses, a quem darias um abraço apertado hoje?
Sou uma pessoa de abraços. Se tivesse a oportunidade, alinhava todos os meus amigos e familiares numa sala e abraçava-os com força, um a um.

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos