Sara O'Leary

🇬🇧Sara O'Leary is a writer for both adults and children. Of all her books, in which are included “A Kid is a Kid is a Kid” and “This is Sadie”, our favourite book is “Maud and Grand-Maud”. You can find her on Instagram at @123olearyo.

How would "once upon a time, there was a little girl called Sara” go? What story would it tell us?
Once upon a time there was a little girl called Sara who loved books. If you'd told her then that when she grew up she would get to work with lots of amazing artists to produce books for children I think she probably would have laughed at you.

How did you find yourself in the pages of picture books?
I remember being small and thinking I could read a copy of Goldilocks and the Three Bears when in fact I'd just memorised the text and was reading the pictures. It was such an incredibly powerful sensation that it is still vivid to me some fifty years later.

When you create a story, do you ever try to transform the little child who will listen to your words? If so, how and what is your main purpose?
I think what I'm more interested in doing is making the child reading the book think that I've seen them. And next probably would be making them laugh. There's nothing nicer.

If you could choose any existing book, which one would you have liked to have written/illustrated yourself?
Just one? Maybe “Goodnight, Moon” by Margaret Wise Brown just because it is so mysteriously magical. How did she do that? And with so few words!

If given the chance, who would you hug today?
I'd hug my grown-up kids every day if I could. My son and my daughter are the joys of my life.

...

🇵🇹Sara O’Leary é escritora de livros para adultos e para crianças. De todos os seus livros, nos quais se incluem “A Kid is a Kid is a Kid” e “This is Sadie”, o nosso preferido é “Maud and Grand-Maud”. Podem encontrá-la no Instagram em @123olearyo.

Como seria o "Era uma vez uma menina chamada Sara”? Que história nos contaria?
Era uma vez uma pequena rapariga chamada Sara que adorava livros. Se lhe tivessem dito então que quando crescesse trabalharia com muitos artistas fantásticos para criar livros para crianças, penso que ela provavelmente se teria rido da ideia.

Como foste parar às páginas de um livro infantil?
Lembro-me de ser pequena e pensar que conseguia ler uma cópia de Caracóis Dourados e os Três Ursos quando, de facto, tinha apenas memorizado o texto e estava a ler as imagens. Foi uma sensação tão incrivelmente poderosa que ainda é viva para mim cerca de cinquenta anos mais tarde.

Quando crias uma história, tentas transformar a criança que vai ouvir as tuas palavras? Se sim, de que forma e qual o teu principal propósito?
Penso que o que estou mais interessada em fazer é levar a que a criança que lê o livro sinta que foi vista.  E a seguir penso que provavelmente seja fazê-la rir. Não há nada mais agradável.

Dada a possibilidade de escolher qualquer um, que livro gostarias de ter escrito e ilustrado?
Apenas um? Talvez “Goodnight, Moon" por Margaret Wise Brown simplesmente porque é tão misteriosamente mágico. Como é que ela fez aquilo? E com tão poucas palavras!

Se pudesses, a quem darias um abraço apertado hoje?
Abraçaria os meus filhos crescidos todos os dias, se pudesse. O meu filho e a minha filha são as alegrias da minha vida.

Leave a comment

Please note, comments must be approved before they are published