Jim Field

Jim Field

ūüáĶūüáĻ Jim √© o ilustrador de O Le√£o que Temos C√° Dentro, Os Esquilos Que N√£o Sabiam Partilhar e O Coala Que Foi Capaz, entre outras capas t√£o conhecidas de todos n√≥s. Podem encontr√°-lo no Instagram em @_jimfield.

Como seria o "Era uma vez um menino chamado Jim‚ÄĚ? Que hist√≥ria nos contaria?
Era uma vez, numa cidade chamada Farnborough, um rapaz chamado James, que era muito t√≠mido e calado e sentia que a √ļnica forma de ser visto era atrav√©s dos seus desenhos. Ele sonhava em desenhar como forma de vida. Avan√ßando cerca de 30 anos e ele est√° a morar no interior de Fran√ßa com a sua mulher e filha e a seguir o seu sonho a ilustrar livros de crian√ßas.

Como foste parar às páginas de um livro infantil?
Costumava ir regularmente √† biblioteca local com o meu av√ī e ficar fascinado com as personagens e ilustra√ß√Ķes nas capas dos livros. Lembro-me vividamente de ver pela primeira vez a capa de Fungus the Bogeyman de Raymond Briggs e de ficar t√£o assustado quanto intrigado ao mesmo tempo.
Adorava livros ilustrados com muitos pormenores, onde podíamos realmente perdermo-nos no seu mundo.

Quando crias uma história, tentas transformar a criança que vai descobrir a tua obra? Se sim, de que forma e qual o teu principal propósito?
Quando ilustro uma história, ilustro-a como gostaria que fosse se eu fosse aquela criança a lê-la. Tento acrescentar na história muitas piadas ou enredos secundários visuais que as crianças vão detectar (ou não) na 4ª ou 5ª vez que lerem a história. As palavras estão a contar a história com as imagens, mas há também outra camada de narrativa visual a explorar. Penso que isso dá a um livro uma vida mais longa.

Dada a possibilidade de escolher qualquer um, que livro gostarias de ter escrito e ilustrado?
Bem, eu sou um grande f√£ do autor/ilustrador canadiano Jon Klassen, ele tem um maravilhoso sentido de humor e uma capacidade incrivelmente surpreendente de contar visualmente uma hist√≥ria com apenas a quantidade necess√°ria de palavras e as ilustra√ß√Ķes certas. Ele nem sequer precisa de fazer express√Ķes faciais, consegue transmitir o que quer movendo apenas as pupilas. Por isso escolhia a s√©rie de livros "Onde est√° o meu chap√©u", uma vez que s√£o livros de perfei√ß√£o. Ser√° que posso escolher tr√™s livros?

Se pudesses, a quem darias um abraço apertado hoje?
Adoraria abra√ßar os meus av√≥s, sinto muito a sua falta e adoraria que conhecessem a nossa maravilhosa filha e mostrar-lhes todos os livros que fiz. O meu av√ī dizia sempre: "Alguns dizem o bom velho Jim, outros dizem a verdade".

…

ūüá¨ūüáß Jim is the illustrator of The Lion Inside, The Squirrels Who Squabbled and The Koala Who Could, among such other familiar picture books. You can find him on Instagram at @_jimfield.

How would "once upon a time, there was a little boy called Jim‚ÄĚ go? What story would it tell us?
Once upon a time, in a town called Farnborough, there was a boy called James, who was very shy and quiet and felt the only way to be seen was through his drawings. He dreamed of drawing for a living. Fast forward 30 years or so and he is living in the French countryside with his wife and daughter and following his dream illustrating children’s books.

How did you find yourself in the pages of picture books?
I used to go regularly to the local library with my grandfather and be fascinated by the characters and illustrations on the book covers. I can vividly remember first seeing Raymond Briggs’ cover of Fungus the Bogeyman and being equally scared and intrigued at the same time.
I loved picture books with lots of detail, where you could get really lost in their world. 

When you create a story, do you ever try to transform the little child who will be on the other side of your work? If so, how and what is your main purpose?
When I illustrate a story,  I illustrate it how I’d want it to be if I was that child reading it. I try to add lots of visual jokes or sub-plots visually in the story that children will spot (or not) on the 4th or 5th time they read the story. The words are telling the story with the pictures, but there is also another layer of visual storytelling to explore. I think that gives a book a longer life.

If you could choose any existing book, which one would you have liked to have written/illustrated yourself?
Well I’m a big fan of Canadian author/illustrator Jon Klassen, he has a wonderful sense of humour and an annoyingly amazing ability to visually tell a story with just the right amount of words and just the right illustrations. He doesn’t even need to do facial expressions, he manages to get that with just moving the pupils. So I’d pick the 'Where is my Hat' series of books, as they are picture book perfection. Is three books ok? 

If given the chance, who would you hug today?
I’d love to hug my grandparents, I miss them dearly and would love them to meet our wonderful daughter and to show them all the books I’ve made. My grandfather would always say 'Some say good old Jim, other's tell the truth.’

Voltar para o blogue

Deixe um coment√°rio

Tenha em atenção que os comentários necessitam de ser aprovados antes de serem publicados.