Alette Straathof

Alette Straathof

ūüáĶūüáĻ Alette √© a ilustradora de Como se Diz Amo-te. As suas ilustra√ß√Ķes s√£o uma forte voz para diversidade e inclus√£o. Podem encontr√°-la no Instagram em @alettestraathof.

Como seria o "Era uma vez uma menina chamada Alette‚ÄĚ? Que hist√≥ria nos contaria?
Eu cresci numa pequena cidade na Holanda e comecei a desenhar no momento em que consegui segurar num lápis. Desenho, artesanato e quaisquer outras actividades criativas sempre foram a minha paixão. Foi só depois do secundário que pensei em ir para uma escola de artes. Durante os meus estudos descobri que queria ilustrar livros infantis, mas todos os meus professores me disseram que eu não devia seguir uma carreira na ilustração de livros infantis, pois achavam que era uma profissão moribunda sem muitas hipóteses de sucesso. Estou feliz por não lhes ter dado ouvidos e ter seguido o meu coração. Agora a minha paixão tornou-se a minha carreira e não podia estar mais feliz.

Como foste parar às páginas de um livro infantil?
Eu adorava livros infantis quando era pequena - ainda adoro, obviamente! S√£o t√£o coloridos e t√™m a incr√≠vel capacidade de falar sobre assuntos complicados como o amor, a perda e a amizade de formas simples e leves. Eu podia ler o mesmo livro vezes sem conta e descobria novos detalhes nas ilustra√ß√Ķes de cada vez que virava uma p√°gina. Isto √© algo que gosto de fazer nas minhas pr√≥prias ilustra√ß√Ķes agora, esconder pequenos detalhes para o leitor encontrar.

Quando crias uma hist√≥ria, tentas transformar a crian√ßa que se vai deleitar com as tuas ilustra√ß√Ķes? Se sim, de que forma e qual o teu principal prop√≥sito?
Acho importante que a hist√≥ria fale a todos, por isso a diversidade e a inclus√£o s√£o algo que eu quero que esteja sempre presente nas minhas ilustra√ß√Ķes. Penso que posso ter o poder, com as minhas ilustra√ß√Ķes, de mostrar √†s crian√ßas como o mundo √© belo com toda a sua diversidade e de fazer com que os grupos menos representados se sintam inclu√≠dos.

Dada a possibilidade de escolher qualquer um, que livro gostarias de ter escrito e ilustrado?
Esta é uma pergunta muito difícil! Os livros com que cresci fizeram de mim a ilustradora que sou hoje, o trabalho de outros inspira-me muito por isso eu não desejo realmente que tivesse eu própria ilustrado esses livros. Penso que seria realmente divertido ilustrar os muitos contos de fadas com que todos nós crescemos e mostrar diversidade.

Se pudesses, a quem darias um abraço apertado hoje?
Daria um abraço virtual a vocês.

…

ūüá¨ūüáß Alette is the illustrator of Ways to Say I Love You. Her illustrations are a strong voice for diversity and inclusion. You can find her on Instagram at @alettestraathof.

How would "once upon a time, there was a little girl called Alette‚ÄĚ go? What story would it tell us?
I grew up in a small town in The Netherlands and I was drawing the moment I could hold a pencil. Drawing, crafting and any other creative activities have always been my passion. It was only after high school that I thought about going to art school. During my studies I found out I wanted to illustrate children’s books, but all my professors told me I shouldn’t pursue a career in children’s book illustration as they found it a dying profession without many chances of success. I’m happy I didn’t listen to them and followed my heart. Now my passion has become my career and I couldn’t be happier.

How did you find yourself in the pages of picture books?
I loved children’s books when I was little - I still do obviously! They are so colourful and they have the amazing ability to talk about complicated subjects like love, loss and friendship in simple and light ways. I could read the same book over and over and would discover new details in the illustrations every time I turned to a new page. This is something I like to do in my own illustrations now, hide small details for the reader to find.

When you create a story, do you ever try to transform the little child who will delight themselves with your illustrations? If so, how and what is your main purpose?
I find it important that the story speaks to everybody, so diversity and inclusiveness is something I always want to be present in my illustrations. I think I kind of have a power with my illustrations to show little children how beautiful the world is with all its diversity and make less represented groups feel included. 

If you could choose any existing book, which one would you have liked to have written/illustrated yourself?
This is a very hard question! The books I grew up with made me the illustrator I am now, work of others inspire me greatly so I don’t really wish I illustrated those books myself.  I do think it would be really fun to illustrate the many fairytales we all grew up with and show diversity. 

If given the chance, who would you hug today?
I’d like to give a virtual hug to you!

Voltar para o blogue

Deixe um coment√°rio

Tenha em atenção que os comentários necessitam de ser aprovados antes de serem publicados.